Escrete de Ouro | Final

Diante de uma Ilha lotada, Sport empata com o Bahia


Rubro-negros saíram atrás no placar e contaram com gol salvador de Juninho; Sport terá de buscar vitória em Salvador

Publicado em 18/05/2017, às 00:03

Rádio Jornal
Antônio Machado

Foto: JC Imagem e Divulgação
Foto: JC Imagem e Divulgação

No primeiro duelo da final da Copa do Nordeste, Sport e Bahia proporcionaram um embate eletrizante do começo ao fim dos 90 minutos. No final das contas, o 1x1 no placar dá a vantagem do gol fora de casa aos tricolores e obriga o Leão e fazer um resultado na Arena Fonte Nova, na próxima quarta-feira (24), para levantar a orelhuda mais cobiçada do Brasil.

Primeiro tempo de equilíbrio

Com a bola rolando, o Sport logo tentou fazer valer o mando de campo e a Ilha do Retiro lotada. Abusando da velocidade e da jogada pelas pontas, o Leão foi o primeiro a chegar mais próximo da meta. Em cruzamento na grande área, o zagueiro Matheus Ferraz desviou em direção a meta de Jean, e a bola caprichosamente beijou a trave.

Logo em seguida, o Bahia equilibrou as ações, e começou a ter maior posse de bola. Dependendo da organização de Diego Souza, Ney Franco viu o seu camisa 87 bem marcado, puxando a marcação dos adversários para o meio, e os jogadores das alas já sem fôlego depois da pressão inicial.

Mas no final da primeira etapa, o lance de maior susto. Após levantamento na área de Magrão, Zé Rafael pegou o rebote e mandou queimando a grama no canto do camisa 1 do Sport. Por um momento a Ilha silenciou, mas a bandeira do auxiliar Pedro Jorge Santos Araújo foi providencial para soltar o respiro de alívio da torcida leonina.



As duas equipes foram para os vestiários após 45 minutos considerados equilibrados pelo técnico Ney Franco.

Placar toma forma

Todo o volume do Leão ficou no primeiro tempo. Na volta do intervalo, o Bahia estava ligado, atento e respondendo os donos da casa à altura, e a inteligência dentro de campo foi recompensada. Com pouco mais de 10 minutos, Juninho, após cruzamento afastado pela zaga pernambucana, mandou um foguete na gaveta, sem chances para Magrão.

O desenrolar do jogo mostrou duas equipes com oportunidades, equilíbrio e chances. O Bahia baixou a guarda, e o Sport voltou a mandar nas ações. Mas aos 35 minutos, poucos minutos após ter entrado em campo, o garoto Juninho foi incumbido mais uma vez com a função de salvador da pátria.

Após o cruzamento de escanteio, o garoto da base da Ilha subiu mais que a zaga e completou de cabeça, permitindo que os rubro-negros fossem a Salvador com um resultado menos adverso na bagagem.

Para levantar a Copa do Nordeste, o Sport precisa construir uma vitória em Salvador. O empate sem gols dá a taça para o Bahia.


Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Escrete de Ouro

Diante de uma Ilha lotada, Sport empata com o Bahia



Publicado em 18/05/2017, às 00:03


Rádio Jornal
Antônio Machado

[IMAGEM]

No primeiro duelo da final da Copa do Nordeste, Sport e Bahia proporcionaram um embate eletrizante do começo ao fim dos 90 minutos. No final das contas, o 1x1 no placar dá a vantagem do gol fora de casa aos tricolores e obriga o Leão e fazer um resultado na Arena Fonte Nova, na próxima quarta-feira (24), para levantar a orelhuda mais cobiçada do Brasil.

Primeiro tempo de equilíbrio

Com a bola rolando, o Sport logo tentou fazer valer o mando de campo e a Ilha do Retiro lotada. Abusando da velocidade e da jogada pelas pontas, o Leão foi o primeiro a chegar mais próximo da meta. Em cruzamento na grande área, o zagueiro Matheus Ferraz desviou em direção a meta de Jean, e a bola caprichosamente beijou a trave.

Logo em seguida, o Bahia equilibrou as ações, e começou a ter maior posse de bola. Dependendo da organização de Diego Souza, Ney Franco viu o seu camisa 87 bem marcado, puxando a marcação dos adversários para o meio, e os jogadores das alas já sem fôlego depois da pressão inicial.

Mas no final da primeira etapa, o lance de maior susto. Após levantamento na área de Magrão, Zé Rafael pegou o rebote e mandou queimando a grama no canto do camisa 1 do Sport. Por um momento a Ilha silenciou, mas a bandeira do auxiliar Pedro Jorge Santos Araújo foi providencial para soltar o respiro de alívio da torcida leonina.

As duas equipes foram para os vestiários após 45 minutos considerados equilibrados pelo técnico Ney Franco.

Placar toma forma

Todo o volume do Leão ficou no primeiro tempo. Na volta do intervalo, o Bahia estava ligado, atento e respondendo os donos da casa à altura, e a inteligência dentro de campo foi recompensada. Com pouco mais de 10 minutos, Juninho, após cruzamento afastado pela zaga pernambucana, mandou um foguete na gaveta, sem chances para Magrão.

O desenrolar do jogo mostrou duas equipes com oportunidades, equilíbrio e chances. O Bahia baixou a guarda, e o Sport voltou a mandar nas ações. Mas aos 35 minutos, poucos minutos após ter entrado em campo, o garoto Juninho foi incumbido mais uma vez com a função de salvador da pátria.

Após o cruzamento de escanteio, o garoto da base da Ilha subiu mais que a zaga e completou de cabeça, permitindo que os rubro-negros fossem a Salvador com um resultado menos adverso na bagagem.

Para levantar a Copa do Nordeste, o Sport precisa construir uma vitória em Salvador. O empate sem gols dá a taça para o Bahia.