Notícia | MATA SUL

"A cheia levou tudo", conta mulher abrigada em escola de Rio Formoso


No município de Rio Formoso, cerca de 400 famílias não têm para onde ir após a enchente que atingiu a localidade no último fim de semana

Publicado em 01/06/2017, às 15:30

Rádio Jornal

Lenice está com a filha há quatro dias em uma escola - Foto: Juliana Oliveira/ Rádio Jornal

Aos poucos o município de Rio Formoso a 88 km do Recife vai começando a se reerguer e a população vai tentando voltar à rotina após as fortes chuvas que castigaram a Zona da Mata Sul de Pernambuco no último fim de semana.

Desde a segunda-feira (29) a prefeitura montou uma força tarefa e está trabalhando na limpeza da cidade e auxiliando as vítimas da enchente. Na manhã desta quinta-feira 120 homens do exército deram início a montagem do Hospital de Campanha que está sendo instalado em um campo de futebol às margens da PE-60.

Serão oferecidos serviços ambulatoriais para toda população já que as unidades hospitalares do município foram danificadas pela água. Equipes formadas por médicos, enfermeiros e farmacêuticos irão trabalhar no regime de 24 horas a partir desta sexta-feira.

Hospital de Campanha que está sendo instalado em um campo de futebol às margens da PE-60

Os estabelecimentos comerciais reabriram as portas e o comércio voltou às atividades. Pessoas que estavam desalojadas aproveitaram o sol para limpar a casa e muitas delas já retornaram às moradias.

Já as famílias que tiveram a casa destruída pela água estão abrigadas em cinco escolas da rede estadual e municipal. São aproximadamente 400 famílias que não têm para onde ir. 



Marta Magalhães é gestora da Escola Municipal Pedro Albuquerque, ela é uma das pessoas que está ajudando no dia a dia dos desabrigados. "Essas famílias estavam precisando logo de cobertores porque chegavam aqui molhados, de roupa, alimento, mas isso graças a Deus está sendo suprido com as doações, com a ajuda da comunidade", relatou. 

Moradora da Rua da Lama, no centro de Rio Formoso, Lenice da Silva, está abrigada há quatro dias na escola. "Não deu tempo de pegar nada. A cheia levou tudo", lembrou a vítima.

Além dessas famílias, mais duas mil pessoas ainda estão ilhadas no município. São moradores de comunidades de difícil acesso e que estão sendo ajudadas pelo Corpo de Bombeiros em parceria com a Defesa Civil e com o Samu como explica o capitão da corporação, Roberto Menezes. 

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

 

Doações

Equipes de voluntários estão recebendo doações na Escola Estadual Joaquim Silvério Pimentel, no centro de Rio Formoso. A escola fica na Rua Barão de Rio Branco em frente à prefeitura da cidade.

Os voluntários estão trabalhando 24 horas. Entre os itens de maior necessidade estão alimentos, bebidas e colchões.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

"A cheia levou tudo", conta mulher abrigada em escola de Rio Formoso



Publicado em 01/06/2017, às 15:30


Rádio Jornal

[IMAGEM]

Aos poucos o município de Rio Formoso a 88 km do Recife vai começando a se reerguer e a população vai tentando voltar à rotina após as fortes chuvas que castigaram a Zona da Mata Sul de Pernambuco no último fim de semana.

Desde a segunda-feira (29) a prefeitura montou uma força tarefa e está trabalhando na limpeza da cidade e auxiliando as vítimas da enchente. Na manhã desta quinta-feira 120 homens do exército deram início a montagem do Hospital de Campanha que está sendo instalado em um campo de futebol às margens da PE-60.

Serão oferecidos serviços ambulatoriais para toda população já que as unidades hospitalares do município foram danificadas pela água. Equipes formadas por médicos, enfermeiros e farmacêuticos irão trabalhar no regime de 24 horas a partir desta sexta-feira.

[IMAGEM2]

Os estabelecimentos comerciais reabriram as portas e o comércio voltou às atividades. Pessoas que estavam desalojadas aproveitaram o sol para limpar a casa e muitas delas já retornaram às moradias.

Já as famílias que tiveram a casa destruída pela água estão abrigadas em cinco escolas da rede estadual e municipal. São aproximadamente 400 famílias que não têm para onde ir. 

Marta Magalhães é gestora da Escola Municipal Pedro Albuquerque, ela é uma das pessoas que está ajudando no dia a dia dos desabrigados. "Essas famílias estavam precisando logo de cobertores porque chegavam aqui molhados, de roupa, alimento, mas isso graças a Deus está sendo suprido com as doações, com a ajuda da comunidade", relatou. 

Moradora da Rua da Lama, no centro de Rio Formoso, Lenice da Silva, está abrigada há quatro dias na escola. "Não deu tempo de pegar nada. A cheia levou tudo", lembrou a vítima.

Além dessas famílias, mais duas mil pessoas ainda estão ilhadas no município. São moradores de comunidades de difícil acesso e que estão sendo ajudadas pelo Corpo de Bombeiros em parceria com a Defesa Civil e com o Samu como explica o capitão da corporação, Roberto Menezes. 

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

[uolmais_audio 16232881] 

Doações

Equipes de voluntários estão recebendo doações na Escola Estadual Joaquim Silvério Pimentel, no centro de Rio Formoso. A escola fica na Rua Barão de Rio Branco em frente à prefeitura da cidade.

Os voluntários estão trabalhando 24 horas. Entre os itens de maior necessidade estão alimentos, bebidas e colchões.