Notícia | BRASÍLIA

Depoimento de Joesley Batista à PF pode gerar denúncia contra Temer


Batista voltou a afirmar que deu dinheiro para o ex-deputado Rocha Loures repassar ao presidente

Publicado em 16/06/2017, às 16:16

Rádio Jornal

Reprodução/Rádio Jornal

Nesta sexta-feira (16) o empresário Joesley Batista, dono da JBS Friboi, prestou depoimento à Polícia Federal no inquérito que investiga o presidente Michel Temer por suposta corrupção e tentativa de compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha e do corretor de valores Lúcio Funaro. A defesa do empresário afirmou que ele confirmou as informações prestadas anteriormente à Procuradoria Geral da República, com a qual fechou um acordo de delação premiada no mês de abril.

Batista voltou a afirmar o que já tinha dito na delação, que deu dinheiro para o ex-deputado Rocha Loures repassar ao presidente Michel Temer. A intenção, de acordo com ele, era ser favorecido pelo governo. Joesley Batista é o mesmo que registrou, com um gravador escondido, conversa com temer na noite de 7 de março, na residência oficial do Palácio do Jaburu, na qual disse que pagava mesada ao ex-deputado Eduardo Cunha para que ele permanecesse em silêncio.



Na interpretação da Procuradoria Geral da República, Temer deu aval a esses pagamentos. a expectativa, agora, é de que com este depoimento de Joesley, o Procurador-Geral da República Rodrigo Janô apresente ao Supremo Tribunal Federal denúncia contra o presidente. O correspondente Romoaldo de Souza traz mais detalhes sobre o depoimento de Joesley Batista, que pode complicar ainda mais o presidente da república:

TURISMO

Também nesta sexta-feira João Batista de Andrade, ministro interino da Cultura decidiu deixar o governo. Novamente, a pasta fica sem destino dentro do governo Temer. Até então a probabilidade é de que o governo peça que João Batista se mantenha no cargo até que o Palácio do Planalto defina um novo nome.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Depoimento de Joesley Batista à PF pode gerar denúncia contra Temer



Publicado em 16/06/2017, às 16:16


Rádio Jornal

[IMAGEM]

Nesta sexta-feira (16) o empresário Joesley Batista, dono da JBS Friboi, prestou depoimento à Polícia Federal no inquérito que investiga o presidente Michel Temer por suposta corrupção e tentativa de compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha e do corretor de valores Lúcio Funaro. A defesa do empresário afirmou que ele confirmou as informações prestadas anteriormente à Procuradoria Geral da República, com a qual fechou um acordo de delação premiada no mês de abril.

Batista voltou a afirmar o que já tinha dito na delação, que deu dinheiro para o ex-deputado Rocha Loures repassar ao presidente Michel Temer. A intenção, de acordo com ele, era ser favorecido pelo governo. Joesley Batista é o mesmo que registrou, com um gravador escondido, conversa com temer na noite de 7 de março, na residência oficial do Palácio do Jaburu, na qual disse que pagava mesada ao ex-deputado Eduardo Cunha para que ele permanecesse em silêncio.

Na interpretação da Procuradoria Geral da República, Temer deu aval a esses pagamentos. a expectativa, agora, é de que com este depoimento de Joesley, o Procurador-Geral da República Rodrigo Janô apresente ao Supremo Tribunal Federal denúncia contra o presidente. O correspondente Romoaldo de Souza traz mais detalhes sobre o depoimento de Joesley Batista, que pode complicar ainda mais o presidente da república:

[uolmais_audio 16245539]

TURISMO

Também nesta sexta-feira João Batista de Andrade, ministro interino da Cultura decidiu deixar o governo. Novamente, a pasta fica sem destino dentro do governo Temer. Até então a probabilidade é de que o governo peça que João Batista se mantenha no cargo até que o Palácio do Planalto defina um novo nome.