Notícia | ECONOMIA

Nova taxa do BNDES promete reduzir dívida em R$ 100 bilhões


O economista Ecio Costa detalha a medida na coluna Economia e Negócios

Publicado em 15/08/2017, às 09:30

Rádio Jornal

Foto: reprodução/internet

 A mudança da taxa de juros do BNDES vai produzir uma economia de quase R$ 100 bilhões aos cofres públicos, se aprovada como quer a equipe econômica do governo federal.  A estimativa de economia foi calculada pelo coordenador do Centro de Finanças do Insper, Marco Bonomo, em estudo com Luis Bento e Paulo Ribeiro, e representa quanto o Tesouro Nacional e o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) deixariam de pagar em subsídios quando fornecem crédito a taxas mais baixas que as de mercado para empresas que acessam empréstimos no banco de fomento.

Ouça os detalhes na coluna Economia & Negócios

Promessa de contenção de despesas

A medida é tratada pelo Ministério da Fazenda e pelo Banco Central como uma ação de longo prazo no esforço de contenção de despesas e redução da taxa de juros.



O Congresso discute neste momento se aprova a mudança. A ideia é extinguir a atual taxa do banco, a TJLP (taxa de juros de longo prazo), hoje em 7% ao ano.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Nova taxa do BNDES promete reduzir dívida em R$ 100 bilhões



Publicado em 15/08/2017, às 09:30


Rádio Jornal

[IMAGEM]

 A mudança da taxa de juros do BNDES vai produzir uma economia de quase R$ 100 bilhões aos cofres públicos, se aprovada como quer a equipe econômica do governo federal.  A estimativa de economia foi calculada pelo coordenador do Centro de Finanças do Insper, Marco Bonomo, em estudo com Luis Bento e Paulo Ribeiro, e representa quanto o Tesouro Nacional e o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) deixariam de pagar em subsídios quando fornecem crédito a taxas mais baixas que as de mercado para empresas que acessam empréstimos no banco de fomento.

Ouça os detalhes na coluna Economia & Negócios

[uolmais_audio 16291645]

Promessa de contenção de despesas

A medida é tratada pelo Ministério da Fazenda e pelo Banco Central como uma ação de longo prazo no esforço de contenção de despesas e redução da taxa de juros.

O Congresso discute neste momento se aprova a mudança. A ideia é extinguir a atual taxa do banco, a TJLP (taxa de juros de longo prazo), hoje em 7% ao ano.