Notícia | debate

Celular em presídio é o 'home office' do crime, diz ministro


Raul Jungmann classificou a situação do crime organizado como nacional

Publicado em 21/08/2017, às 11:55

Rádio Jornal

Raul Jungmann participou do debate da Super Manhã Raul Jungmann participou do debate da Super Manhã
Alexandre Gondim/JC Imagem

O ministro da defesa Raul Jungmann (PPS-PE) disse que o fluxo criminoso dentro dos presídios deve acabar. Durante o debate da Super Manhã desta segunda-feira (21), o político priorizou a quebra de comunicação externa dos presidiários brasileiros como uma condição de melhor no combate ao crime organizado em todo o Brasil. 

"Você tem que cortar o fluxo do criminoso de dentro de presídios com o criminoso na rua. Se ele dentro consegue se comunicar, evidentemente você está enxugando gelo. Está implantando o home office do crime organizados. Só pode se comunicar através do vidro, com tudo gravado. Em são paulo, já mandaram prender 40 advogados que eram pombos correio do PCC. Hoje, de fato, o crime se nacionalizou e se internacionalizou", disse Raul Jungmann. 



Confira o debate com Raul Jungmann na íntegra

Raul Jungmann ainda disse que, no Rio de Janeiro, a população está deixando de ir às missas e cultos no período da noite por medo da insegurança. "As igrejas estão fazendo a missa mais cedo, pois a noite as pessoas não vão com medo. Os cultos dos evangélicos também estão começando mais cedo. Também estão acontecendo seis roubos de carga por hora, e as empresas não querem fazer a segurança dos fretes", concluiu. 


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Celular em presídio é o 'home office' do crime, diz ministro



Publicado em 21/08/2017, às 11:55


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O ministro da defesa Raul Jungmann (PPS-PE) disse que o fluxo criminoso dentro dos presídios deve acabar. Durante o debate da Super Manhã desta segunda-feira (21), o político priorizou a quebra de comunicação externa dos presidiários brasileiros como uma condição de melhor no combate ao crime organizado em todo o Brasil. 

"Você tem que cortar o fluxo do criminoso de dentro de presídios com o criminoso na rua. Se ele dentro consegue se comunicar, evidentemente você está enxugando gelo. Está implantando o home office do crime organizados. Só pode se comunicar através do vidro, com tudo gravado. Em são paulo, já mandaram prender 40 advogados que eram pombos correio do PCC. Hoje, de fato, o crime se nacionalizou e se internacionalizou", disse Raul Jungmann. 

Confira o debate com Raul Jungmann na íntegra

Raul Jungmann ainda disse que, no Rio de Janeiro, a população está deixando de ir às missas e cultos no período da noite por medo da insegurança. "As igrejas estão fazendo a missa mais cedo, pois a noite as pessoas não vão com medo. Os cultos dos evangélicos também estão começando mais cedo. Também estão acontecendo seis roubos de carga por hora, e as empresas não querem fazer a segurança dos fretes", concluiu.