Notícia | PROGRAMA MOVIMENTO

Ditadura Militar é retratada na literatura e no cinema recifense


O livro “O massacre da Granja São Bento” e o filme documental “Aurora 1964” trazem fatos importantes da Ditadura Militar através do relato de pessoas

Publicado em 08/09/2017, às 01:31

Rádio Jornal
Postado por Carol Santos

Registro do "Aurora 1964". Imagem:divulgação

Que a capital pernambucana tem uma produção cultural rica e ativa “a gente sabe” e para os amantes da literatura e do cinema trago destaques sobre um tema importante: o Regime Militar  (1964-1985). O programa Movimento recebeu o fotógrafo, cientista político e cineasta italiano, Diego Di Niglio, que trouxe os detalhes da pré-estreia do documentário dele “Aurora 1964”, prevista para esta segunda-feira (11) às 19h no Cinema São Luiz Centro do Recife, assim como o jornalista e escritor Luiz Felipe Campos, que apresentou o livro-reportagem “O massacre da Granja São Bento” com um segundo lançamento marcado para este sábado às 19h no espaço A Casa Azul, em Olinda.

Ouça na íntegra:

Sinopse do filme “Aurora 1964”

Recife, Brasil, 2016. Dona Lourdes vai ser avó outra vez. Seu Jarbas coloca para tocar um velho LP de Ave Sangria. Anacleto Julião assiste as imagens em Super8 de seu pai exilado no México. Seu Cícero revisita fotos antigas em um melancólico fim de tarde no Engenho Galileia. Jacira relembra a tortura pública de seu tio, Gregório Bezerra.



Um país em plena crise de sua democracia, marcado por conflitos políticos e sociais, é o pano de fundo das narrativas do cotidiano desses e de outros personagens que tiveram a vida atingida pelo regime militar instalado com o golpe de 1964

Luiz Felipe Campos (esquerda), Marcelo Araújo (centro) e Diego Di Niglio (direita). Foto: Carol Santos

Foram necessários cinco anos de pesquisa para a realização do livro

Luiz Felipe Campos deu início ao trabalho ainda na faculdade de jornalismo, as pesquisas duraram cinco anos. Durante esse período ele reuniu relatos através de entrevistas e documentos. O material retrata uma operação policial que resultou no assassinato de quatro homens e duas mulheres, militantes contrários a ditadura militar. As mortes ocorreram em um sítio na Região Metropolitana do Recife (RMR), em janeiro de 1973. O local atualmente integra o município de Abreu e Lima.

Mande sugestões para o e-mail:movimento@radiojornal.com.br 

Serviço

Filme: "Aurora 1964"

Segunda-feira (11) 19h no Cinema São Luiz, entrada gratuita.

Livro: “O massacre da Granja São Bento”

Sábado (08), 19h, na Casa  Azul, em Olinda.

O livro custa R$ 30,00.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Ditadura Militar é retratada na literatura e no cinema recifense



Publicado em 08/09/2017, às 01:31


Rádio Jornal
Postado por Carol Santos

[IMAGEM]

Que a capital pernambucana tem uma produção cultural rica e ativa “a gente sabe” e para os amantes da literatura e do cinema trago destaques sobre um tema importante: o Regime Militar  (1964-1985). O programa Movimento recebeu o fotógrafo, cientista político e cineasta italiano, Diego Di Niglio, que trouxe os detalhes da pré-estreia do documentário dele “Aurora 1964”, prevista para esta segunda-feira (11) às 19h no Cinema São Luiz Centro do Recife, assim como o jornalista e escritor Luiz Felipe Campos, que apresentou o livro-reportagem “O massacre da Granja São Bento” com um segundo lançamento marcado para este sábado às 19h no espaço A Casa Azul, em Olinda.

Ouça na íntegra:

[uolmais_audio 16308278]

Sinopse do filme “Aurora 1964”

Recife, Brasil, 2016. Dona Lourdes vai ser avó outra vez. Seu Jarbas coloca para tocar um velho LP de Ave Sangria. Anacleto Julião assiste as imagens em Super8 de seu pai exilado no México. Seu Cícero revisita fotos antigas em um melancólico fim de tarde no Engenho Galileia. Jacira relembra a tortura pública de seu tio, Gregório Bezerra.

Um país em plena crise de sua democracia, marcado por conflitos políticos e sociais, é o pano de fundo das narrativas do cotidiano desses e de outros personagens que tiveram a vida atingida pelo regime militar instalado com o golpe de 1964

[IMAGEM2]

Foram necessários cinco anos de pesquisa para a realização do livro

Luiz Felipe Campos deu início ao trabalho ainda na faculdade de jornalismo, as pesquisas duraram cinco anos. Durante esse período ele reuniu relatos através de entrevistas e documentos. O material retrata uma operação policial que resultou no assassinato de quatro homens e duas mulheres, militantes contrários a ditadura militar. As mortes ocorreram em um sítio na Região Metropolitana do Recife (RMR), em janeiro de 1973. O local atualmente integra o município de Abreu e Lima.

Mande sugestões para o e-mail:movimento@radiojornal.com.br 

Serviço

Filme: "Aurora 1964"

Segunda-feira (11) 19h no Cinema São Luiz, entrada gratuita.

Livro: “O massacre da Granja São Bento”

Sábado (08), 19h, na Casa  Azul, em Olinda.

O livro custa R$ 30,00.