Escrete de Ouro | Entrevista

Torcida não pode me chamar de omisso, desabafa presidente do Sport


Arnaldo Barros afirmou que a responsabilidade dos erros do Sport é dele e ressaltou que o nível de esgotamento físico dos atletas compromete o desempenho

Publicado em 30/10/2017, às 11:22

Rádio Jornal

Sport/Williams Aguiar

O presidente do Sport, Arnaldo Barros, desabafou durante entrevista à Rádio Jornal na manhã desta segunda-feira (30). O mandatário leonino disse que desempenha um trabalho de 24h pelo clube e afirmou que a torcida não pode taxá-lo de omisso, assumindo as responsabilidades por erros cometidos pela equipe ao longo da temporada. 

"O que existe é uma série de fatores e de problemas, a responsabilidade maior é minha. Eu que comandei a construção do elenco, que comando, em última análise, as decisões, então a responsabilidade é minha. A torcida não pode taxar o presidente de omisso. Sou uma pessoa que trabalho pelo Sport 24h por dia. Estou sem dormir e faço isso por amor ao clube", disse Arnaldo Barros. 

Arnaldo ainda citou a derrota para o Coritiba, nesse domingo por 4x3 na Ilha do Retiro, como um jogo que o clube não poderia perder e garantiu a permanência do Leão na Série A. O jogo de volta da Sul-Americana, diante do Junior Barranquilla (COL), também foi citado pelo mandatário. 



>> Torcedores do Sport protestam após derrota para o Coritiba na Ilha

>> Técnicos de futebol têm longevidade média de 3 meses em Pernambuco

"O Sport mudou de patamar. O nível de exigência é outro, temos dificuldades. Ainda estamos na Sul-Americana e vamos lutar por ela com sangue nos olhos. Perdemos ontem e não podíamos perder, é verdade. O Sport vai se manter na Série A. Temos que trabalhar mais ainda, estamos no limite da exaustão, mas a solução desse problema está conosco, com diretores, comissão técnica e atletas", disse o presidente. 

Por fim, a condição física dos atletas foi citada como fator determinante para o desempenho do clube no final da temporada, e confirmou que Diego Souza, Rithely e André estão fora do embate diante dos colombianos.

"Temos poucos recursos, então temos um plantel reduzido. Há pouco rodízio, coisa que muito pouco é analisado. O número de jogos excessivos, a pressão sobre eles, a logística que é sacrificante. Muitas coisas não chegam ao torcedor e eu posso entender a revolta, pois sou também torcedor. Em algumas partidas, atletas jogaram com CK apontando risco. Para o jogo da quinta-feira pela Sula, Diego Souza, André e Rithely estão vetados pelo DM dado ao nível de esgotamento que estão. Isso não chega ao torcedor. Nosso elenco é reduzido por falta de condições igualitária com outros clubes da Série A. Todos esses fatores determinam as dificuldades que temos pela frente", concluiu Arnaldo.

Ouça a entrevista com Arnaldo Barros na íntegra

 


Recomendados para você

Comentários

Escrete de Ouro

Torcida não pode me chamar de omisso, desabafa presidente do Sport



Publicado em 30/10/2017, às 11:22


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O presidente do Sport, Arnaldo Barros, desabafou durante entrevista à Rádio Jornal na manhã desta segunda-feira (30). O mandatário leonino disse que desempenha um trabalho de 24h pelo clube e afirmou que a torcida não pode taxá-lo de omisso, assumindo as responsabilidades por erros cometidos pela equipe ao longo da temporada. 

"O que existe é uma série de fatores e de problemas, a responsabilidade maior é minha. Eu que comandei a construção do elenco, que comando, em última análise, as decisões, então a responsabilidade é minha. A torcida não pode taxar o presidente de omisso. Sou uma pessoa que trabalho pelo Sport 24h por dia. Estou sem dormir e faço isso por amor ao clube", disse Arnaldo Barros. 

Arnaldo ainda citou a derrota para o Coritiba, nesse domingo por 4x3 na Ilha do Retiro, como um jogo que o clube não poderia perder e garantiu a permanência do Leão na Série A. O jogo de volta da Sul-Americana, diante do Junior Barranquilla (COL), também foi citado pelo mandatário. 

>> Torcedores do Sport protestam após derrota para o Coritiba na Ilha

>> Técnicos de futebol têm longevidade média de 3 meses em Pernambuco

"O Sport mudou de patamar. O nível de exigência é outro, temos dificuldades. Ainda estamos na Sul-Americana e vamos lutar por ela com sangue nos olhos. Perdemos ontem e não podíamos perder, é verdade. O Sport vai se manter na Série A. Temos que trabalhar mais ainda, estamos no limite da exaustão, mas a solução desse problema está conosco, com diretores, comissão técnica e atletas", disse o presidente. 

Por fim, a condição física dos atletas foi citada como fator determinante para o desempenho do clube no final da temporada, e confirmou que Diego Souza, Rithely e André estão fora do embate diante dos colombianos.

"Temos poucos recursos, então temos um plantel reduzido. Há pouco rodízio, coisa que muito pouco é analisado. O número de jogos excessivos, a pressão sobre eles, a logística que é sacrificante. Muitas coisas não chegam ao torcedor e eu posso entender a revolta, pois sou também torcedor. Em algumas partidas, atletas jogaram com CK apontando risco. Para o jogo da quinta-feira pela Sula, Diego Souza, André e Rithely estão vetados pelo DM dado ao nível de esgotamento que estão. Isso não chega ao torcedor. Nosso elenco é reduzido por falta de condições igualitária com outros clubes da Série A. Todos esses fatores determinam as dificuldades que temos pela frente", concluiu Arnaldo.

Ouça a entrevista com Arnaldo Barros na íntegra

[uolmais_audio 16342179]