Escrete de Ouro | CRISE

Diretor do Santa Cruz critica possível greve: não é bom para carreira do jogador


Diretor de Futebol do Santa Cruz, Jomar Rocha, disse que o clube está negociando com os jogadores, mas acredita que o grupo vai entrar em campo, hoje

Publicado em 14/11/2017, às 11:21

Rádio Jornal

Foto: JC Imagem

O Santa Cruz amanheceu o dia aflito após anúncio de possível greve dos jogadores, que colocaram como prazo limite esta terça-feira (14) para que o clube pague, pelo menos, um salário dos pagamentos que estão atrasados.

O diretor de futebol do Santa Cruz, Jomar Rocha, disse que o clube foi notificado e o departamento jurídico também. Segundo ele, o anúncio de greve não é bom para o clube assim como para o jogador. “Isso não é bom para o clube, para a Federação, para a carreia do jogador. Qual clube vai querer contratar um jogador que está fazendo movimento de greve?”, questionou, acrescentando que não está defendendo o salário atrasado.

Segundo Jomar, o clube deve dois meses de salário e não quatro. “A gente deve dois meses de salário e o acordo que a gente tinha feito com os jogadores era que uma parcela seria paga até o dia 15 (amanhã)”, apontou.  



>> Elenco do Santa diz que entra em greve na segunda, caso dívidas não sejam pagas

>> Com 4 meses de salários atrasados, jogadores do Santa Cruz ameaçam greve

Ele justificou que a crise e a fase do futebol estão causando os atrasos salariais. “É uma crise instalada no país, é um clube que, infelizmente, esse ano não rendeu o futebol esperado. Mas a gente tá tentando todos os esforços para apresentar a melhor proposta possível para os jogadores entrarem em campo”, afirmou. 

Nesta terça-feira, o Santa Cruz tem embate às 20h30 contra o Paraná, no Arruda. Na avaliação de Jomar, os jogadores vão entrar em campo após a negociação. “Eu creio que os jogadores vão entrar em campo”, disse. Ele acredita que há uma perseguição. “Existe uma federação dos sindicatos, que foi quem denunciou a gente no ano passado, o único clube denunciado. Parece até uma perseguição”, criticou.  

Confira a entrevista completa:

Tristeza com rebaixamento

O diretor de futebol falou ainda sobre a força da torcida em meio a mais um momento difícil do Tricolor do Arruda. “Infelizmente uma queda para a C é uma coisa muito triste, chata. A torcida está chateada. Já houve isso uma vez e está havendo outra vez”, lamentou. “Mas a torcida do Santa Cruz é muito forte, o clube grande”, completou, acrescentando os recentes títulos do clube. “O mundo não vai se acabar, o Santa Cruz não vai se acabar”, concluiu.


Recomendados para você

Comentários

Escrete de Ouro

Diretor do Santa Cruz critica possível greve: não é bom para carreira do jogador



Publicado em 14/11/2017, às 11:21


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O Santa Cruz amanheceu o dia aflito após anúncio de possível greve dos jogadores, que colocaram como prazo limite esta terça-feira (14) para que o clube pague, pelo menos, um salário dos pagamentos que estão atrasados.

O diretor de futebol do Santa Cruz, Jomar Rocha, disse que o clube foi notificado e o departamento jurídico também. Segundo ele, o anúncio de greve não é bom para o clube assim como para o jogador. “Isso não é bom para o clube, para a Federação, para a carreia do jogador. Qual clube vai querer contratar um jogador que está fazendo movimento de greve?”, questionou, acrescentando que não está defendendo o salário atrasado.

Segundo Jomar, o clube deve dois meses de salário e não quatro. “A gente deve dois meses de salário e o acordo que a gente tinha feito com os jogadores era que uma parcela seria paga até o dia 15 (amanhã)”, apontou.  

>> Elenco do Santa diz que entra em greve na segunda, caso dívidas não sejam pagas

>> Com 4 meses de salários atrasados, jogadores do Santa Cruz ameaçam greve

Ele justificou que a crise e a fase do futebol estão causando os atrasos salariais. “É uma crise instalada no país, é um clube que, infelizmente, esse ano não rendeu o futebol esperado. Mas a gente tá tentando todos os esforços para apresentar a melhor proposta possível para os jogadores entrarem em campo”, afirmou. 

Nesta terça-feira, o Santa Cruz tem embate às 20h30 contra o Paraná, no Arruda. Na avaliação de Jomar, os jogadores vão entrar em campo após a negociação. “Eu creio que os jogadores vão entrar em campo”, disse. Ele acredita que há uma perseguição. “Existe uma federação dos sindicatos, que foi quem denunciou a gente no ano passado, o único clube denunciado. Parece até uma perseguição”, criticou.  

Confira a entrevista completa:

[uolmais_audio 16351052]

Tristeza com rebaixamento

O diretor de futebol falou ainda sobre a força da torcida em meio a mais um momento difícil do Tricolor do Arruda. “Infelizmente uma queda para a C é uma coisa muito triste, chata. A torcida está chateada. Já houve isso uma vez e está havendo outra vez”, lamentou. “Mas a torcida do Santa Cruz é muito forte, o clube grande”, completou, acrescentando os recentes títulos do clube. “O mundo não vai se acabar, o Santa Cruz não vai se acabar”, concluiu.