JUMA MARRUÁ

NOVELA PANTANAL: Descubra o que muda da velha Juma Marruá para a nova

Apesar de jovem, Juma aprendeu desde cedo com sua mãe a se proteger e não confiar no 'bicho homem', a espécie mais perigosa que pode vir a rondar sua região

Pedro Lima
Pedro Lima
Publicado em 30/03/2022 às 20:35
Notícia
Globo/João Miguel Júnior
Alanis será Juma na nova versão de Pantanal - FOTO: Globo/João Miguel Júnior
Leitura:

A maior planície alagada do mundo, o Pantanal, é palco para a obra de Bruno Luperi, inspirada na primeira versão, há 32 anos, escrita por Benedito Ruy Barbosa, que estreou na TV Globo na segunda (28).

.

O folhetim é uma saga familiar que tem a natureza como protagonista e o amor como fio condutor.

O cenário abriga o casal Jove e Juma Marruá (Alanis Guillen). Filha de Gil e Maria Marruá (Enrique Diaz e Juliana Paes). Pela criação, a pantaneira não abre a guarda para ninguém.

.

Globo/João Miguel Júnior
Maria Marruá ( Juliana Paes ) e Gil ( Enrique Diaz ) em Pantanal - Globo/João Miguel Júnior

Apesar de jovem, Juma aprendeu desde cedo com sua mãe a se proteger e não confiar no 'bicho homem', a espécie mais perigosa que pode vir a rondar sua região.

Foi o 'bicho homem' que levou os pais de Juma e seus irmãos, todos assassinados. Carregada de desconfiança, Juma se torna uma mulher selvagem.

.

REPRODUÇÃO
Cristiane Oliveira e Alanis Guillen, como Juma nas versões de 1990 e de 2022 respectivamente - REPRODUÇÃO

Vai ter mudança da velha Juma para a nova?

Bruno Luperi respondeu se haveria diferença entre as personagens, apesar da distância de 32 anos entre as gravações.

“Não de essência. A Juma da essência do meu avô é minha Juma. Enxergo muita beleza ali! Gosto dela mais bicho e menos mulher", destacou.

>>>Veja como foi o encontro das 'Juma Marruá', Cristiana Oliveira e Alanis Guillen<<<

"Eu vejo o Jove como um corpo masculino, sem nenhum problema com a sexualidade dele, mas com a essência do que a gente entende que é mulher" explicou.

"Ele é criado por três mulheres no Rio de Janeiro, tem espaço para ser mais sensível, mais empático, tolerante. A Juma não tem medo de ser masculinizada, de ocupar um espaço mais forte na relação, enquanto Jove não se incomoda em ocupar o extremo oposto", finalizou Luperi, que é neto de Benedito Ruy Barbosa.

A primeira versão de Juma foi vivida por Cristiane Oliveira.

Comentários

Mais Lidas