Paraíba

Coordenador liga assassinato de membros do MST a discurso de Bolsonaro


Sepultamento de dois integrantes do MST assassinados aconteceu na manhã desta segunda (10). Crime aconteceu no último sábado (8), em Alhambra, na Paraíba

Maria Luiza Falcão
Maria Luiza Falcão
Publicado em 10/12/2018 às 16:45
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil
FOTO: Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Leitura:

Foram sepultados nesta segunda-feira (10) os integrantes e coordenadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais e Sem Terra (MST) José Bernardo da Silva, conhecido como "Orlando", e Rodrigo Celestino, assassinados no último sábado (8), em um acampamento do município de Alhanbra, no estado da Paraíba. O Coordenado do MST em Pernambuco, Jayme Amorim, considera que o crime faz parte de uma violência histórica e pode estar diretamente ligado ao discurso do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

"Você tem uma repercussão muito maior do que simplesmente o assassinato dos dois. Porque é uma deliberação que o presidente Jair Bolsonaro tem declarado permanentemente. Ao ele tipificar a luta pela reforma agrária como crime, ele está incentivando, para que esses malucos do agronegócio, especificamente do latifúndio improdutivo, se utilizem da violência histórica para matar trabalhador sem terra", disse Jaime.

Uma das vítimas, Orlando, já havia tido inclusive um dos irmãos ligado a movimentos sociais assassinado na Paraíba em 2009. Confira os detalhes na reportagem de Bruna de Oliveira.

Ouça:


Mais Lidas