Covid-19: saiba como denunciar aglomerações em Pernambuco

Para evitar o avanço da covid-19, Pernambuco proibiu festas de réveillon, públicas ou privadas

FIM DE ANO
Covid-19: saiba como denunciar aglomerações em Pernambuco

No Recife, o comércio na praia - quiosques, barracas ou ambulantes - será permitido até às 17h - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

O Governo de Pernambuco deixou claro o recado de que a pandemia da covid-19 ainda não tem prazo para acabar, durante coletiva virtual realizada nesta quarta-feira (30). Os números são preocupantes e o protocolo sanitário deve ser obedecido por todos e em tempo integral. Uso da máscara e o distanciamento social são considerados essenciais para conter o avanço do novo coronavírus.

Bares e restaurantes devem encerrar as atividades, nesta quinta-feira (31), às 20h. Também estão proibidos os shows de réveillon, seja em espaços públicos ou particulares, como clubes, hotéis e até condomínios. A restrição engloba também pousadas, granjas, sítios e residências alugadas para festas de fim de ano.

No Recife, o comércio na praia - quiosques, barracas ou ambulantes - será permitido até às 17h.  Depois, as atividades serão liberadas às 6h da sexta-feira, 1º de janeiro de 2021. Vale lembrar que estão proibidos toldos, cadeiras, bancos, mesas e aparelhos de som na faixa de areia e no calçadão.

Para não deixar a data passar em branco, o ano novo na capital chegará em meio a um espetáculo de luzes e lasers. O alcance é estimado entre cinco a sete quilômetros, e poderá ser visto nas Zonas Norte, Oeste e Sul do Recife.

De acordo com os organizadores, serão 30 minutos saudando o começo de 2021.

Além da capital pernambucana, Olinda limita a circulação a partir das 17h, enquanto Jaboatão dos Guararapes fecha o cerco a partir das 18h. As prefeituras de Ipojuca e de Itamaracá prometem combater as aglomerações nos pontos turísticos.

Como denunciar

As denúncias de irregularidades no réveillon em Pernambuco devem ser feitas ao 190 da Polícia Militar; para o Whatsappp do Núcleo de Monitoramento da Covid-19 (81) 3181 7000; ou ainda no 0800.282.1512 do Procon Pernambuco.

Pedro Eurico, secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, afirma que existe uma legislação punitiva. “Aqueles que forem alcançados no momento da festa serão autuados em flagrante, porque o código penal é claro, artigo 268, artigo 330: crimes contra a saúde pública. Aqueles que descumprirem as regras mínimas de relação à saúde serão autuados, vão responder criminalmente. Não somente os responsáveis pela festa, o proprietário da granja, da casa de eventos ou do hotel, todos serão responsabilizados. Inclusive, posteriormente, porque nem sempre a gente vai conseguir chegar na primeira hora, mas vamos levantar fotos, o que vai sair nas redes sociais (...) As multas vão de R$ 1 mil a R$ 100 mil, independentemente da responsabilização criminal, que vai acontecer através de inquérito que será aberto pela Polícia Civil”, afirmou.

Mais máscaras

O Governo de Pernambuco está adquirindo do Polo de Confecções mais de 1 milhão de máscaras de tecido. A compra pode ser efetuada no site www.mascarasparatodos.org.br com pacotes de cinco, dez, 50 ou 100 unidades. O pagamento na loja virtual pode ser feito através de cartão de crédito, de débito ou boleto bancário.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, procura conscientizar as pessoas de que o protocolo sanitário impede a disseminação do novo coronavírus. “Será uma data que também vai pedir uma atenção e um cuidado a mais de todos nós. A adoção do distanciamento físico, do uso da máscara e lavagem das mãos são uma questão de saúde e de proteção à vida”, apontou.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.