Estupro de vulnerável: Suspeito de engravidar a própria neta de 12 anos no Cabo confessa crime

O homem ainda é suspeito de estupro contra outras crianças

PRISÃO
Estupro de vulnerável: Suspeito de engravidar a própria neta de 12 anos no Cabo confessa crime

Homem foi preso no município de Primavera - Foto: Reprodução/ Internet

Um homem de 58 anos suspeito de estuprar e engravidar a própria neta de 12 anos, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, foi preso no município de Primavera, na Zona da Mata Norte do Estado. Ele estava escondido na casa de parentes.  

Segundo a delegada responsável pelo caso, Socorro Veloso, o homem, que não teve a identidade revelada para preservar a vítima, confessou o crime. Ele estava ameaçando as vítimas por tê-lo denunciado. "Esse inquérito foi concluído, foi representado pela prisão preventiva dele. Ele confessa o crime (...) Segundo informações, ele se mostrava como o 'vovô', sempre muito carinhoso com as crianças. No caso da menina de 12 anos, ela falou que ele ameaçava caso ele contasse para os familiares", contou a delegada.

A criança foi submetida a um aborto legal para interromper a gestação.  

Outras denúncias  

Ao dar prosseguimento às investigações, a Polícia Civil descobriu que o homem é suspeito de ter praticado o mesmo crime contra outras seis meninas que tem entre 3 e 10 anos de idade. "Os outros casos foram de crianças que conviveram com ele. Existem duas crianças de 6 e 7 anos. Em vídeo, elas inclusive confirmam com detalhes os atos que ele praticava contra elas. Existe uma outra mulher também que ele conviveu com uma criança de 3 e outra de 10 anos em que há também suspeita de que ele tenha praticado alguns atos contra essas crianças", contou a delegada. 

Segundo a delegada, como essas outras vítimas são muito pequenas, a polícia aguarda ouvir o depoimento das crianças com acompanhamento psicossocial. 

No Cotel  

O homem está preso no Cotel, em Abreu e Lima. Ele vai responder na justiça por estupro de vulnerável, que tem pena de 6 a 10 anos detenção. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.