CRIME

Como está Cristian Cravinhos, irmão de Daniel Cravinhos e ex-cunhado de Suzane von Richthofen?


Cristian Cravinhos tinha 26 anos quando participou do assassinato do casal Richthofen

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 27/09/2021 às 16:39
Reprodução/ Internet
FOTO: Reprodução/ Internet
Leitura:

O trio responsável pelo por articular e executar o assassinato do casal Manfred e Marísia von Richthofen, em outubro de 2002, ainda hoje desperta curiosidade na população. Os irmãos Cristian Cravinhos e Daniel Cravinhos assassinaram os pais de Suzane von Richthofen com a ajuda da jovem.

>> Como está Andreas Albert, irmão de Suzane von Richthofen?

Redução de pena

Daniel Cravinho (no centro da imagem) era namorado de Suzane von Richthofen na época do crime
Cristian Cravinhos, Daniel Cravinho e Suzane von Richthofen na época do crime
Reprodução

O júri popular dos réus aconteceu em 2006 e Cristian Cravinhos foi condenado a 38 anos e seis meses em regime fechado.

A Justiça de São Paulo concedeu, em junho deste ano, uma redução em 149 dias na pena de Cristian por trabalhos prestados na prisão, onde cumpre pena em regime fechado na penitenciaria na Penitenciária II de Tremembé Dr. José Augusto César Salgado. Cristian perdeu o direito ao regime aberto por se envolver em uma confusão em um bar em Sorocaba (SP).

>> Carla Diaz diz que precisou se afastar de 'julgamento pessoal' para interpretar Suzane von Richthofen

>> VÍDEO: Veja entrevista de Suzane von Richthofen e reportagem provando que advogados dela queriam montar uma farsa

Com a redução, Cristina Cravinhos precisa cumprir mais 22 anos 10 meses e 15 dias de pena, podendo sair da prisão em 10 de junho de 2044, segundo informações da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

Regime aberto

Em agosto de 2017, um dos assassinos do casal Richthofen conquistou conquistou o direito de cumprir sua pena em regime aberto. Com 41 anos na época, Cristian estava preso na penitenciária Doutor José Augusto Salgado, a P2 de Tremembé, na região metropolitana São Paulo desde 2002 quando ganhou o benefício.

Para tal, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo apresentou algumas condições, entre elas obter atividade lícita em até 60 dias, não mudar de residência sem autorização, permanecer em casa das 22h às 6h, não frequentar bares e casas de jogos e se apresentar trimestralmente à Vara de Execuções Criminais.

O pedido de regime aberto foi feito pela sua defesa no começo deste ano e passou por um exame criminológico concluído com parecer favorável.

Perda do regime aberto

Menos de um ano depois, em abril de de 2018, Cristian Cravinhos voltou ao ao regime. Ele foi preso e denunciado por supostamente agredir uma mulher em um bar em Sorocaba e também ter sido flagrado com uma munição de uso restrito.

Além disso, os policiais militares que atenderam a ocorrência contaram que Cristian tentou suborná-los, ao oferecer dinheiro para não ser preso e não perder o benefício do regime aberto.

Após o registro da ocorrência, foi analisada a participação do réu na suposta tentativa de suborno. A Justiça absolveu Cristian do crime de posse ilegal de munição de uso restrito, mas manteve a condenação por tentativa de suborno feita a policiais militares.

Cristian na cadeia

De acordo com o portal G1, entre os dias 14 de abril de 2018 e 31 de março de 2021, Cristian Cravinhos trabalhou 447 dias na na Penitenciária II de Tremembé Dr. José Augusto César Salgado. Entre elas estão o apoio na faxina, manutenção, jardinagem, manuseio de estabulo, na copa, costureiro, ajudante geral e oficina de reforma de carteiras escolares.

Com isso, a defesa entrou com o pedido, que leva em conta a diminuição de um dia na sentença a cada três trabalhados.

Preso desde 8 de novembro de 2002, sua pena aumentou para 41 anos e 6 meses, somadas as condenações em Sorocaba e do homicídio do casal Richthofen, é de 41 anos e 10 meses.


Mais Lidas