ASSASSINATO

CASO DANIELLA PEREZ: Gloria Perez se pronuncia sobre Guilherme de Pádua e Paula não serem ouvidos em série

A produção do documentário não teve o interesse de ouvir os assassinos

Rayane Domingos
Rayane Domingos
Publicado em 26/07/2022 às 9:41
Reprodução/Banco Jc
Gloria Perez afirmou que não queria que Guilherme de Pádua falasse no documentário - FOTO: Reprodução/Banco Jc
Leitura:

'Pacto Brutal: O Assasinato de Daniella Perez' vem causando muita repercussão nas redes sociais. A série do HBO Max relata a história do crime cometido contra a atriz e traz depoimentos de familiares e colegas de trabalho.

Os internautas começaram a perceber que nem Guilherme de Pádua nem Paula Thomaz foram ouvidos pela produção. Muitos criticaram o fato deles não terem sido procurados.

O debate reacendeu quando Guilherme afirmou que a série estava sendo "parcial", e que pretendia produzir algo contando a "sua versão dos fatos".

Glória Perez explica o motivo de Guilherme não ter sido ouvido

Em entrevista ao Splash, do UOL, Gloria Perez diz que aceitou fazer a série porque a história precisava ser contada da maneira correta.

"Esse tempo todo, essa história foi contada da maneira mais sensacionalista possível. Agora, eu queria que o processo falasse. O que me levou a aceitar fazer parte desse projeto e ceder todo o meu arquivo à HBO foi a proposta de que eles se ateriam aos autos do processo".

Gloria afirma que a produção não é baseada em "apresentar versões", e sim contar a conclusão das investigações da Justiça. Ela diz ainda que não quis o depoimento de Paula e Guilherme.

.

"Hoje em dia, se você quiser saber como eles vão, é só abrir ali as redes sociais. Eles estão lá exibindo a sua impunidade. Não precisa agora perder tempo dando microfone. Seria dar palco a psicopata".

Ao comentar sobre a atual esposa de Guilherme afirmar que ele não teve culpa no assassinato de Daniella, Gloria se limita a dizer: "A minha opinião é: o tempo dirá. As máscaras caem".

Como foi o crime contra Daniella Perez?

Após a gravação no dia em 28 de dezembro de 1992, Daniella foi abordada por Guilherme na saída dos estúdios da Globo. Os dois viviam um par romântico em 'De Corpo e Alma', escrita por Glória.

Ele seguiu o carro da atriz até um posto de gasolina e fechou o veículo. Ao sair do carro, Guilherme deu um soco no rosto de Daniella que caiu. Ele levou a mulher, que estava desacordada, para um terreno baldio.

Guilherme e Paula seguiram para Barra da Tijuca. Lá Daniella foi morta com 18 facadas, que atingiram pulmão, coração e pescoço.

Quando a Polícia chegou no local, encontrou apenas o carro da atriz e os documentos. Enquanto isso, Guilherme foi até a Delegacia para consolar Glória e Raul Gazolla, marido de Daniella.

Após ser pressionado pela polícia, que tinha provas concretas, Guilherme assumiu a autoria do crime. Ele tentou encobrir a participação de Paula.

As testemunhas apontaram que Guilherme queria tirar proveito da amizade que tinha com Daniella para ter benefícios na novela.

Ele desconfiou que estava sendo escanteado da trama quando o personagem não apareceu em dois capítulos.

O ator acreditava que Daniella falou sobre as investidas, e por isso teria sido cortado. Assim, ele relatou para a mulher, Paula, e os dois planejaram o crime.

Guilherme foi condenado por 19 anos enquanto Paula, que estava grávida, teve pena de 18 anos e 6 meses. Eles cumpriram apenas 7 anos da pena e tiveram liberdade condicional.

Reprodução/Banco Jc
Glória Perez não quis que Guilherme de Pádua desse depoimento em série que conta assassinato de Daniella - FOTO:Reprodução/Banco Jc

Mais Lidas