SAÚDE

Prefeituras reforçam ações contra arboviroses após Compesa mudar calendário e aumentar falta d'água

Verão é a época ideal para o aumento de casos de arboviroses

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 08/02/2021 às 7:02
Ikamahã/SesauPCR
FOTO: Ikamahã/SesauPCR
Leitura:

Devido à redução no abastecimento de água que moradores da Região Metropolitana do Recife têm enfrentado é natural que muitas pessoas passem a manter reservatórios em casa. No entanto, é preciso tomar cuidado com as arboviroses, como a dengue, a zika e a chicungunha. E no verão, o risco de proliferação é maior.

Segundo a pesquisadora da Fiocruz Pernambuco Cláudia Fontes, esse acúmulo de água deve ser feito com atenção, pois porções despejadas de forma inadequada podem contribuir com a proliferação de mosquitos.

Cláudia Fontes lembra que é importante manter os reservatórios bem tampados, para garantir a qualidade da água e evitar doenças.

>> Fiocruz Pernambuco confirma transmissão do Zika vírus sexualmente

>> 20 dias sem água: confira ranking dos bairros mais afetados por novo rodízio de abastecimento no Grande Recife

>> Novo calendário de abastecimento da Compesa faz crescer procura por caixas d'água

>> Veja 10 dicas simples de como economizar água em casa durante demora de abastecimento no Grande Recife

>> Compesa doa caixa d'água de 500 litros em campanha; saiba como conseguir

Reforço nas ações de combate às arboviroses

De acordo com o cronograma divulgado pela Compesa, moradores de 35 bairros do Recife vão receber água um dia sim e cinco não.

O gerente de Vigilância Ambiental do Recife, Jurandir Almeida, afirma que o trabalho de prevenção às arboviroses foi intensificado. Segundo ele, 800 agentes são envolvidos com o processo, sendo que 600 deles atuam na visitação direta às residências.

Em Olinda, a previsão é de que a população fique um dia com água nas torneiras e sete dias sem. O gerente do Centro de Vigilância Ambiental de Olinda, José Holanda Neto, afirma que 150 agentes de controle de endemias trabalham para orientar os moradores sobre o uso de telas, tampas e outros artifícios que impeçam o acesso dos mosquitos à água armazenada.

Em Camaragibe, as residências só vão receber água da Compesa um dia por quinzena. De acordo com o gerente de Vigilância Ambiental em Saúde de Camaragibe, Clodoaldo Borba, o reforço de ações preventivas em locais de maior risco tem sido eficiente no combate às arboviroses.

Segundo a Compesa, ainda não é possível determinar por quanto tempo vai durar o racionamento. A decisão depende do comportamento das chuvas no próximo trimestre, e da previsão para os próximos dias pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).

Mais Lidas