GRIPE H3N2

Cresce número de mortes por gripe H3N2 em Pernambuco; veja situação atual


Casos da gripe H3N2 em Pernambuco têm crescido de forma alarmante

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 06/01/2022 às 14:06
Notícia
DAY SANTOS / JC IMAGEM
Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães, Geraldão. Teste da Gripe - O vírus (H3N2) é uma variante do vírus Influenza A. - FOTO: DAY SANTOS / JC IMAGEM
Leitura:

O número de pacientes que morreram em decorrência da gripe H3N2 em Pernambuco sofreu um aumento, segundo apontam os dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). 

De acordo com a SES-PE, desde 2021, até a última terça-feira (4), foram registrados 6.392 casos de influenza A em Pernambuco. Apenas nesta nova rodada de análises feita pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE) foram obtidas 1.139 amostras laboratoriais positivas, sendo 8 novos óbitos.

Dos 6.392 casos, 6.327 são de influenza A (H3N2) e 65 influenza A não subtipada. Do total de registros, até o momento, 516 (8,1%) apresentaram Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).

"Na última semana epidemiológica de 2021, tivemos uma aceleração epidêmica muito forte. Uma aceleração que, em 15 dias, dobrou o registro de casos de Srag e triplicou as solicitações de leitos. A situação provocada pela influenza na última semana já é pior que a 1ª onda da Covid-19, em 2020", afirmou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

Perfil das vítimas fatais da gripe H3N2

Ao todo, 38 pessoas morreram por conta da infecção pela gripe H3N2, sendo 15 do sexo masculino e 23 do feminino, em Pernambuco.

Os pacientes eram residentes do Recife (23), Palmares (3), Ipojuca (2), Jaboatão dos Guararapes (2), São Lourenço da Mata (2), Escada (1), Goiana (1), Olinda (1), Sirinhaém (1), Timbaúba (1) e Tracunhaém (1).

.

As idades dos pacientes variam entre 1 e 92 anos. As faixas etárias são: 1 a 9 (1), 10 a 19 (1), 20 a 29 (1), 30 a 39 (4), 40 a 49 (2), 50 a 59 (6) e 60 e mais (23).

Os pacientes apresentavam comorbidades e possuíam fatores de risco para complicação por influenza, como diabetes, doença cardiovascular, doença renal crônica, cardiovasculopatias, hipertensão arterial e sobrepeso.

Comentários


Mais Lidas