Novela Pantanal

NOVELA PANTANAL: Confira histórias de perrengues nas gravações da novela compartilhada pelo elenco

A trama deveria ter começado antes, mas teve atraso em pelo menos seis meses pela mobilidade da equipe em levar as 150 toneladas de material para o Mato Grosso do Sul.

Pedro Lima
Pedro Lima
Publicado em 24/03/2022 às 20:58
Notícia
DIVULGAÇÃO/TV GLOBO
A atriz Alanis Guillen interpreta a protagonista Juma Marruá na novela Pantanal - FOTO: DIVULGAÇÃO/TV GLOBO
Leitura:

Estamos próximos do início da novela Pantanal na grade da TV Globo. O remake do clássico de Benedito Ruy Barbosa, escrito desta vez por Bruno Luperi, vai ao ar no dia 28 de março, uma segunda-feira.

A trama pretende trazer a originalidade da primeira versão exibida na TV Manchete, em 1990, mas com adaptações para nossa realidade social.

O local das gravações é o mesmo de 32 anos atrás. Foram seis fazendas utilizadas para as gravações e de apoio.

.

Dificuldades da produção

A trama deveria ter começado antes, mas teve atraso em pelo menos seis meses pela mobilidade da equipe em levar as 150 toneladas de material para o Mato Grosso do Sul.

Perrengues nas gravações

Os perrengues não foram só da produção, os atores também passaram por poucas e boas para a gravação das cenas. Aliás, uma unanimidade entre o elenco que visitou a região pantaneira: O contato com a natureza é transformador.

No entanto, as gravações fora do confortável estúdio gera alguns momentos engraçados e furadas que viram boas histórias para serem lembradas depois.

Veja algumas delas abaixo

Juliana Paes, intérprete de Maria Marruá, passou aperto para fazer xixi e quase virou comida de Jacaré.

Porém, o réptil não assustou a todos. Bruna Linzmeyer foi escolhida como a aventureira do grupo. A atriz levou touca e óculos de natação para desbravar os rios da região.

"Ela ia desbravando lugares. A gente piscava e... cadê a Bruna? Eu é que não tinha coragem de ir atrás. Ficava chamando pra ela voltar", conta a estreante Letícia Salles, aos risos.

As seis fazendas que serviram de locação para as gravações estão a pouco mais de 1h de trajeto, mas de avião esse tempo reduz para sete ou oito minutos.

Mas, nem todo mundo tinha coragem de pegar os voos, revela Bruna Linzmeyer"Todo mundo morria de medo. As idas e vindas eram intensas. Esperto era o Irandhir, que só ia de carro".

O ator pediu à produção para se deslocar apenas por vias terrestres.

"Eu tenho muito medo de aviãozinho e muito respeito por esse meu medo (risos). A produção foi bastante cuidadosa quando eu disse. Porque eu até poderia ir pelo ar, mas eu não seria o mesmo pelo resto do dia", revelou Irandhir.

A porteira

Durante os deslocamentos entre as fazendas, sempre tinha uma porteira ou outra para abrir e fechar. A equipe criou um modo para facilitar a atividade. Quem estivesse no primeiro carro do dia e da fila seria encarregado dessa responsabilidade.

O xixi de Juliana Paes

Ao passar o dia na estrada, o carro em que estava a atriz, não encontrou posto ou loja de conveniência para fazer xixi. A única saída foi aliviar atrás do carro.

"O mais difícil era quando batia a vontade à noite. Ia atrás do carro, abaixava e fazia. Hidratei bastante aquela terra", comentou aos risos.

"O Enrique Diaz ficava de vigia para ninguém vir. Mas e o medo de aparecer um bicho bem na hora em que eu estava lá fazendo?" finaliza Juliana Paes.

.

Globo/João Miguel Júnior
Maria Marruá ( Juliana Paes ) e Gil ( Enrique Diaz ) em Pantanal - Globo/João Miguel Júnior

Se vir uma onça

Renato Góes ao chegar para se hospedar na casa de Almir Sater, perguntou o que fazer caso uma onça apareça

"Ele explicou para respeitarmos, olharmos de volta e irmos andando para trás, para tentar retornar para casa", comenta o ator.

E ela apareceu. Renato estava acompanhado do cantor e de sua esposa, Thaila Ayala, quando seguiram os ensinamentos passados.

"A onça, ainda que distante, veio em nossa direção. Almir pediu para não nos mexermos, acabei pegando o celular e filmei. No dia seguinte, voltamos para ver as pegadas por onde ela tinha passado. Foi maravilhoso", completou o ator.

 .

João Miguel Jr/ Globo
Renato Góes - João Miguel Jr/ Globo

O queixada

O animal é uma espécie de porco-do-mato, que faz um barulho com os dentes, Gabriel Stauffer foi alertado que se ouvir o barulho é para sair correndo ou subir um metro, senão o animal derruba a pessoa.

No último dia de gravação, o ator resolveu fazer um passeio de despedida.

"Estava naquele momento zen, saí do carro para agradecer pela experiência. Comecei a entrar na mata e ouvi o tal barulho. Saí correndo, gritando. "É o queixada, é o queixada". Entrei no carro e não vi se era mesmo o bicho. Mas fiquei pianinho o resto da viagem."

.

DIVULGAÇÃO/TV GLOBO
Gabriel Stauffer, Gustavo na primeira versão de Pantanal - DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

O susto com o jacaré

Malu Rodrigues e Juliana Paes viveram sustos semelhantes ao gravarem no rio. Ambas estavam boiando, com os ouvidos submersos até que ficaram distraídas e viram a equipe correndo para fazer o socorro. Jacarés nadavam na direção delas.

.

Globo/João Miguel Júnior
Juliana Paes como Maria Marruá em Pantanal - Globo/João Miguel Júnior

"Estava tranquila, até que ouvi aquele barulho distante, o nosso produtor se aproximando... Olhei para o lado e avistei o jacaré. Saí correndo, gritando que nem louca", conta Juliana.

"Fiquei com cara de susto sem saber o que vinha, mas foi engraçado. A gente é que estava no habitat deles. Nadamos com vários bichos. Não tinha como ficar sem mergulhar naquele rio", lembra Malu.

.

DIVULGAÇÃO/TV GLOBO
Malu Rodrigues, irmã de Madeleine na primeira fase de Pantanal - DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

Comentários

Mais Lidas