TENSÃO

SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA: Veja tudo o que se sabe sobre a guerra da Rússia e Ucrânia


Presidente russo anunciou uma 'operação militar especial' no leste da Ucrânia nesta quinta

Paloma Xavier
Paloma Xavier
Publicado em 24/02/2022 às 17:46
Notícia
Daniel LEAL / AFP
Caminhão de carga militar é retratado no centro de Kiev na manhã desta quinta-feira (24) - FOTO: Daniel LEAL / AFP
Leitura:

O presidente russo Vladimir Putin anunciou, na manhã desta quinta-feira (horário local), uma "operação militar especial" no leste da Ucrânia. A justificativa do líder da Rússia foi de que o “confronto com essas forças [ucranianas] é inevitável.”

A tensão entre os países se acentuou recentemente porque a Rússia discorda de uma eventual adesão da Ucrânia à  - aliança militar criada para fazer frente à extinta União Soviética (URSS).

Putin acredita que a Otan é uma ameaça à segurança da Rússia pela expansão na região, que está cada vez mais próxima do território russo. O presidente quer que a Ucrânia declare formalmente que nunca vai se filiar à aliança.

.

Ataques

ARIS MESSINIS / AFP
Explosão em Chuguiv, na Ucrânia - ARIS MESSINIS / AFP

Depois do anúncio de Putin sobre a operação, foram relatadas explosões em Kiev, capital ucraniana, em Kharkiv, Maripuol, Odessa e em Kramatorsk. A Ucrânia está sendo atacada por terra, mar e ar.

Além dos ataques russos, separatistas no leste da Ucrânia estão tomando controle de territórios. Segundo a polícia ucraniana, foram contabilizados mais de 200 ataques dentro do território.

Ao menos 74 instalações militares ucranianas teriam sido atacadas pelos russos, de acordo com agências de notícias. Um aeroporto militar próximo à capital ucraniana Kiev foi tomado por forças russas, segundo o governo local.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky decretou mobilização geral no país por causa do movimento russo. Além disso, houve convocação de cidadãos para o conflito.

HANDOUT / UKRAINE PRESIDENCY / AFP
Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky - HANDOUT / UKRAINE PRESIDENCY / AFP

O governo ucraniano afirma que derrubou veículos do exército russo no leste do país. "Cinco aviões e um helicóptero do agressor foram derrubados", relatou o Estado-Maior do exército ucraniano em um comunicado.

A Ucrânia declarou que rompeu relações diplomáticas com a Rússia e adotou a lei marcial - substituição das autoridades e leis de uma nação por leis militares - no país.

Quanto às baixas, o governo ucraniano afirma que pelo menos "50 ocupantes russos" foram mortos na região separatista de Lugansk nas primeiras horas da invasão.

Ainda segundo o governo ucraniano, ao menos 64 civis e militares morreram após o avanço da Rússia. Também foi relatada a morte de uma criança após um ataque a um prédio em Chuhuiv e de quatro pessoas depois de um ataque em um hospital na região de Donetsk.

Tentativa de fuga

Andrey BORODULIN / AFP
Pessoas carregam seus pertences em uma estrada no lado russo do posto de fronteira em Avilo-Uspenka - Andrey BORODULIN / AFP

Depois do anúncio de Putin, ucranianos começaram a deixar a capital Kiev. A cidade emitiu um sinal de alerta para ataque aéreo pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial.

Foi registrada uma grande movimentação em estradas no sentido das fronteiras ucranianas com a Polônia, a Eslováquia, a Hungria e a Romênia.

Diante do cenário, a União Europeia anunciou que aceitará um número ilimitado de refugiados ucranianos.

Espaço aéreo fechado

AFP / SATELLITE IMAGE ©2022 MAXAR TECHNOLOGIES
Imagem de satélite mostra uma visão mais próxima da implantação de novos caças SU-34 na base aérea de Primorsko Akhtarsk em Krasnodar Krai, na Rússia, em 13 de fevereiro - AFP / SATELLITE IMAGE ©2022 MAXAR TECHNOLOGIES

A Ucrânia decidiu fechar seu espaço aéreo à aviação civil "devido ao alto risco para a segurança", informou o Ministério da Infraestrutura local.

Foram cancelados voos no aeroporto da cidade russa de Rostov, perto da fronteira ucraniana. Outros países vizinhos também fecharam o seu espaço aéreo.

Invasão em Chernobyl

SERGEI SUPINSKY / AFP
Cúpula protetora gigante construída sobre o sarcófago cobrindo o quarto reator destruído da Usina Nuclear de Chernobyl - SERGEI SUPINSKY / AFP

No início da tarde desta quinta-feira, o governo ucraniano notificou que militares russos tomaram a usina nuclear de Chernobyl. A usina foi cenário de um dos piores acidentes nucleares do mundo e está desativada, mas ainda possui resíduos tóxicos. A Ucrânia acusa a Rússia de planejar uma nova catástrofe biológica.

Comentários


Mais Lidas